Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Polícia Federal realiza operação em Rio Claro, Brotas e Piracicaba contra o contrabando de cigarros - Rádio Brotense

Fale conosco via Whatsapp: +55 14 98137-7159

No comando: A Caminho do Sol

Das 0:00 às 04:30

No comando: Na Estrada

Das 04:30 às 05:00

No comando: Alvorada Sertaneja

Das 05:00 às 08:00

No comando: Casa da Nona

Das 08:00 às 11:00

No comando: Jornal 60 Minutos

Das 11:00 às 12:00

No comando: Esporte Notícia

Das 12:00 às 13:00

No comando: A Tarde é Nossa

Das 13:00 às 15:00

No comando: PeãoNeja

Das 15:00 às 17:00

No comando: Encontro de Fé

Das 17:00 às 18:00

No comando: Raiz Sertaneja

Das 18:00 às 19:00

No comando: Jornada Esportiva

Das 20:00 às 00:00

No comando: Abrindo o Baú

Das 20:00 às 22:00

No comando: RB News

Das 22:00 às 0:00

Polícia Federal realiza operação em Rio Claro, Brotas e Piracicaba contra o contrabando de cigarros

As cidades de Rio Claro, Brotas e Piracicaba (SP) são alvos da Polícia Federal na Operação Vintena, voltada à repressão do crime organizado e do contrabando de cigarros, deflagrada na manhã desta quarta-feira (16). São cumpridos 11 mandados de prisão preventiva e 19 mandados de busca e apreensão.

A investigação teve início em janeiro de 2018. Durante esse período foram apreendidos mais de 35 mil pacotes de cigarros (350,14 mil maços), cujo valor correspondente a mais de R$1,75 milhões. Foram lavradas vinte prisões em flagrante delito e apreendidos treze automóveis e um caminhão.

Os cigarros contrabandeados do Paraguai eram comercializados na região de Piracicaba e Rio Claro por duas organizações criminosas dedicadas à prática reiterada e intensa da aquisição, transporte, guarda e distribuição de cigarros de procedência estrangeira, introduzidos clandestinamente no país.

Das onze pessoas que tiveram a prisão preventiva decretada, três já se encontram recolhidas no sistema prisional em decorrência de prisão em flagrante.

Os presos serão recolhidos no CDP de Piracicaba, à disposição da Justiça Federal de Piracicaba. Eles serão indiciados pelos crimes de organização criminosa, com pena de três a oito anos de reclusão, e contrabando, com pena de dois a cinco anos de reclusão, para cada ocorrência.

O nome da operação se refere à quantidade de cigarros existente em cada maço do produto.

Fonte: G1

Deixe seu comentário:

Banner